Os artigos de artesanato comercializados com a marca Tereza são produzidos pela Cooperativa Social de Trabalho Lili, criada dentro da Penitenciária Feminina 2 de Tremembé (SP).

A linha de produtos foi desenvolvida pelas próprias detentas, através de uma série de oficinas coordenadas pelos designers Renato Imbroisi e Cristiana Pereira Barretto. A maioria das presas não tinha conhecimentos de corte, costura, crochê ou bordado. Ao longo de quatro meses, Renato e Cristiana fizeram a capacitação técnica das cooperadas, com a colaboração das artesãs Sonia Maria Leal Bento e Terezinha Mendes dos Santos. Saiba mais sobre as oficinas no vídeo abaixo:

O processo de desenvolvimento de produtos e capacitação das cooperadas contou também com colaboração voluntária das designers Camila Testa Stifelmann e Gisela Allegro Baptista Bilyk, da restauradora Isabel Milani e do artista plástico Paulo Von Poser, como mostram os vídeos abaixo:

A criação da Cooperativa Social de Trabalho Lili, na Penitenciária Feminina 2 de Tremembé (SP), é fruto de parceria do Instituto Humanitas360 com a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, o Departamento Estadual de Execução Criminal (Deecrim) de São José dos Campos e o Conselho da Comunidade de Execução Penal de Taubaté.